Troféu Brasil 2017
10/10/2017
Fonte LARA MONSORES/CBJ | Fotos BUDOPRESS/CBJ
Belo Horizonte – MG

Na semifinal Rafael Silva ECP (SP) e Ruan Silva JCR (RJ) protagonizaram um duelo de gigantes

Realizado entre os dias 07 e 08 de outubro na Arena Minas Tênis Clube em Belo Horizonte, o Troféu Brasil 2017 contou com a participação de inúmeros medalhistas olímpicos, mundiais e exibiu nível técnico altíssimo.

Ao todo, seis medalhistas olímpicos foram inscritos na competição: Ketleyn Quadros (63kg/Minas Tênis Clube), Sarah Menezes (48kg/AJEF), Rafaela Silva (57kg/Instituto Reação), Mayra Aguiar (78kg/Sogipa), Leandro Guilheiro (81kg/Clube Pinheiros) e Rafael Silva "Baby" (+100kg/Clube Pinheiros).

Baby usou sua experiência para neutralizar as investidas do peso-pesado carioca e garantiu vaga na final

No primeiro dia de disputa a campeã olímpica Sarah Menezes foi campeã no 48kg, enquanto Rafaela Silva, a campeã dos Jogos Rio 2016 levou o bronze após desistir de combate na semifinal contra colega de time

Buscando um retorno ao peso-ligeiro (48kg), Sarah fez o dever de casa e venceu todas as suas quatro lutas preliminares por ippon. Na final, emplacou quatro wazaris contra a pinheirense Gabriela Chibana e levou o título do Troféu Brasil, competição que não disputava desde 2005.

Muita coisa estava em jogo na disputa do bronze do peso-meio-pesado, e após o golden score extenuante Luciano Correa MTC (MG) superou Rafael Buzacarini CPM (SP)

"Tive uma excelente competição. Fiquei até surpreendida comigo mesma, porque vim de uma descida do 52kg para o 48kg, fiz uma dieta correta. Cheguei bem, me senti bem, leve e rápida na competição", avaliou a campeã olímpica de Londres 2012. "Fiz lutas duras com meninas novas e a minha final foi muito positiva para mim, porque consegui lutar, variei golpes, lutei contra uma atleta forte, a Gabriela Chibana, que também é da seleção e estamos disputando vaga. Agora, pretendo lutar o Brasileiro Sênior em novembro e aguardar os resultados dos exames que fiz com a CBJ para poder retornar ao 48kg."

O minastenista comemorou muito o bronze que teve sabor de ouro

Rafaela, por outro lado, protagonizou um momento de "solidariedade" a sua colega de time, Tamires Crude (57kg), quando desistiu do combate para que Crude tivesse a oportunidade de fazer a final do peso-leve contra Flávia Cruz, também do Reação. Na decisão, Tamires venceu Flávia por ippon e levou o bicampeonato do Troféu. Rafaela ficou com bronze depois que Manoela Costa (Sogipa) também desistiu do combate por causa de uma lesão no joelho. A novata Gabrielle Gonzaga (Sogipa), de 16 anos, completou o pódio com o bronze.

"Eu sabia que as meninas do Reação estavam vindo forte então eu optei por dar essa oportunidade para elas decidirem ali nos tatamis quem ia seguir na competição e tentar marcar alguns pontinhos para sair da seletiva. Eu estou fazendo a minha parte de ajudar elas a crescerem também. Eu fui apoio da Ketleyn Quadros, então sempre que tem uma atleta forte na categoria faz todo mundo crescer junto", explicou a campeã olímpica. 

Na final do peso-meio-médio Ketleyn Quadros MTC (MG) superou Alexia Castilhos SOG (RS) e garantiu mais um ouro do Troféu Brasil, para sua galeria de troféus e medalhas

O período da manhã ainda teve o bicampeonato da meio-leve Milena Zaccani (Sogipa) em final emocionante contra a anfitriã Layana Colman (Minas), que havia passado na semifinal pela favorita Érika Miranda (Sogipa). Multimedalhista em Mundiais, Miranda ficou com o bronze ao lado de Eleudis Valentim (Pinheiros), campeã do Grand Prix de Zagreb no final de semana passado.

"Eu me machuquei no final do ano passado, lutei a seletiva olímpica com o joelho rompido, operei, me recuperei e voltei agora para o Troféu com mais motivação. Vim bem focada. É uma competição que eu gosto de lutar", comemorou Milena após o pódio. 

Com este ippon sobre Caio Brígida SEP (SP), Leandro Guilheiro mostrou que se reabilitou das cirurgias e está pronto pra briga

Os donos da casa comemoraram na última categoria disputada pela manhã, quando Alex Pombo (Minas) imobilizou Lincoln Neves (São José dos Campos) até o ippon e conquistou o hexacampeonato do Troféu Brasil no peso-leve.

"Eu me preparei muito bem para esse Troféu Brasil pois sabia que a qualidade estaria bem alta, que ia ser uma competição bem forte e todos os atletas da seleção brasileira estariam presentes. O diferencial foi o foco e competir em casa, não precisar viajar, dormir na minha cama. Conquistei o meu sexto título e estou bem feliz com o meu desempenho", avaliou Pombo.

Na disputa do bronze do peso-pesado feminino Luiza Cruz JCR (RJ) superou Istelina Silva JM (SE) e garantiu vaga no pódio

Segundo bloco definiu os campeões de mais quatro categorias à tarde

Medalhista de bronze no último mundial juvenil, a rondoniense Amanda Arraes (NAEC) derrotou Thays Marinho (Minas) na decisão. Com apenas 17 anos, Amanda levou seu primeiro título de Troféu Brasil e foi a campeã mais jovem do evento no sábado.

No peso-superligeiro masculino (55kg), o campeão foi o anfitrião Miquéias Valle, que superou Leonardo Santos.

Na disputa do bronze do peso-meio-médio masculino Marcos Eduardo Seixas JCR (RJ) neutralizou o ímpeto de João Macedo SOG (RS) e se garantiu no pódio

No peso-ligeiro (60kg), Eric Takabatake e Phelipe Pelim fizeram dobradinha pinheirense com Pelim no lugar mais alto do pódio depois que Eric desistiu de lutar a final.

Charles Chibana (66kg) foi implacável, vencendo cinco, de suas seis lutas por ippon para fechar o dia com chave de ouro para o Pinheiros, que encerrou o primeiro dia de disputa liderando parcialmente o quadro geral de medalhas e também no masculino. O Instituo Reação encerrou o primeiro de competição liderando o feminino.

No domingo Pinheiros dispara e assume o lugar mais alto do pódio no feminino e masculino

Nas categorias de peso femininas as campeãs foram Ketleyn Quadros (63kg/Minas), Barbara Timo (70kg/Pinheiros), Samanta Soares (78kg/Pinheiros) e Beatriz Souza (+78kg/Pinheiros).

Nos pesos masculinos, Leandro Guilheiro (81kg/Pinheiros), Eduardo Bettoni (90kg/Minas), Renan Nunes (100kg/Sogipa) e Jonas Inocêncio (+100kg/Pinheiros) levaram a melhor neste domingo.

No masculino, o pódio geral ficou com o Pinheiros (SP) em primeiro lugar, Minas (MG) em segundo, Sogipa (RS) em terceiro, São José dos Campos (SP) em quarto e o Sesi (SP) em quinto.

No feminino, o Pinheiros (SP) manteve o primeiro lugar, a Sogipa (RS) ficou em segundo, o Minas (MG) em terceiro, o Reação (RJ) em quarto e a Nunes Associação Esportiva de Cacoal (RO) em quinto.

A semifinal do peso-meio-médio foi um dos combates mais eletrizantes da competição e Eduardo Santos ECP (SP) levou a melhor sobre João Macedo (SOG RS) e garantiu vaga na final

Quantidade e qualidade

Marson Albani, assistente Técnico Nacional de Eventos da CBJ destacou que esta edição do Troféu Brasil apresentou número recorde de atletas inscritos. Contudo, a grande surpresa foi o nível técnico do certame.

“Recebemos 482 inscrições, mas somente 449 atletas disputaram efetivamente esta edição do Troféu Brasil. Foi um recorde absoluto na competição que em 2015 reuniu 412 atletas no certame realizado em Taubaté”, disse Albani que ainda enfatizou a qualidade técnica do certame.

Luiz Gonzaga, Nédio Henrique Mendes, Moisés Penso e Maurício Carlos Santos

“Tivemos seis medalhistas olímpicos na competição e mais de uma dezena de medalhistas em campeonatos mundiais. Se contarmos as conquistas olímpicas totalizamos 9 medalhas nos tatamis da Arena Minas Tênis Clube. Duas com Leandro Guilheiro, duas com a Mayra Aguiar, duas com o Rafael Silva, uma com a Sarah Meneses, uma com a Rafaela Silva e uma com a Kethlen Quadros”, pontou o assistente técnico da CBJ.

Pódio feminino por associação

Dirigente pinheirense comemora dupla vitória

“Como dirigente de uma das principais equipes do judô brasileiro pedirei à gestão técnica de eventos da Confederação Brasileira de Judô que traga as próximas edições do Troféu Brasil para o Minas Tênis Clube. Além de ser uma das melhores praças esportivas do Brasil, esta arena nos deu muita sorte e com isso pudemos repetir um feito grandioso que não alcançávamos há muito tempo sendo campeões no feminino e do masculino”, brincou Arnaldo Luiz de Queiróz Pereira, diretor de Esportes Olímpicos e Formação do clube.

Pódio masculino por associação

O gestor paulista ainda destacou o desempenho da comissão técnica e prometeu algumas novidades o departamento de judô para a próxima temporada.

“No início da temporada passada promovemos uma restruturação no departamento de judô do clube, e agora os resultados estão surgindo. Temos certeza de que faremos uma campanha histórica no Grand Prix masculino que acontecerá em São Paulo, assim como no GP feminino que será realizado em Lauro de Freitas, na Bahia. Estamos fechando algumas contratações importantíssimas que certamente potencializarão ainda mais o poderio do Clube Pinheiros no cenário judoísta nacional”, previu Queiroz.

Dirigentes atletas e membros da comissão técnica do Esporte Clube Pinheiros

Comissão técnica da equipe campeã com Sumiu Tsujimoto, Douglas Vieira, Andréa Oguma e Sérgio Baldijão